top of page
  • Foto do escritorlucas protti

A sua raiva também faz parte de você



Ao reprimirmos nossas emoções, acabamos nos prejudicando, pois nos violamos.. 

Devido a uma educação repressora, opressora e violenta, nunca fomos ensinados a sentir, compreender, aceitar e lidar com nossas emoções internas. Expressar emoções é frequentemente considerado perigoso, ruim e inaceitável.


Assim, ao invés de aprendermos sobre a responsabilidade por nossos sentimentos, somos condicionados a acreditar que são as circunstâncias externas que causam nossas reações emocionais, não o que está dentro de nós. Isso nos leva a culpar os outros por nossos desconfortos, medos, receios e raivas, enquanto atribuímos a eles o poder de nos trazer alegria, felicidade, prazer e bem-estar.


Imagine suas emoções como convidados em uma festa dentro de você, onde cada uma delas tem seu próprio papel e personalidade. Quando reprimimos esses convidados, é como se os expulsássemos da festa, causando um tumulto interno que pode levar ao adoecimento emocional.


Ao invés disso, deveríamos receber cada emoção como um convidado valioso, mesmo que às vezes inconveniente. Em vez de culpar o mundo externo pelas nossas reações emocionais, é importante reconhecer que elas são como mensageiros internos, nos mostrando o que é importante para nós e o que precisamos lidar.


Toda emoção tem uma função, inclusive a raiva. Ela não é boa nem ruim por si mesma: o importante é o que fazemos com ela. Por exemplo, quando a raiva bate à nossa porta, em vez de tentar ignorá-la ou deixá-la dominar a festa, podemos convidá-la para sentar conosco, oferecer-lhe uma xícara de chá e buscar conversar para entender por que ela veio nos visitar.


Sei que falando assim, parece muito fácil, mas na prática não é bem assim que ocorre. Porém esse olhar nos ajuda a compreender melhor a nós mesmos e a lidar de forma mais saudável com nossas emoções.


Vale lembrar que a forma como lidamos com a raiva influenciará diretamente na maneira como nossos filhos aprenderão a lidar com suas próprias emoções. Nossos comportamentos e atitudes servem como modelos para eles, e eles aprenderão muito sobre como lidar com emoções observando como nós as enfrentamos. Eles percebem nossos conflitos conscientes e inconscientes. Em suma, nossas reações emocionais acabam sendo transmitidas para nossos filhos como um exemplo a ser seguido


Então, me conta: como você lida com seus “convidados emocionais”? 


4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page