top of page
  • Foto do escritorlucas protti

Os incômodos que calamos




Sabe aquelas pequenas pedras que você vai colocando no seu sapato ao longo do caminho? No começo, elas parecem insignificantes, apenas um leve desconforto. Mas, conforme você continua andando, elas começam a machucar mais e mais, até que fica insuportável dar um passo.


Assim são com os "pequenos incômodos" que vamos acumulando nas relações. Situações como "aquele lixo que nunca é levado para fora", "aquela crítica que ficou atravessada" e "aquela ausência que nunca foi mencionada" são essas pequenas pedras que, se ignoradas, se transformam em grandes feridas.


Esses pequenos desconfortos são as raízes de grandes conflitos, e aprender a comunicá-los é essencial para cultivar relações saudáveis. Ao contrário do que muitos pensam, os incômodos não desaparecem com o tempo; eles crescem e se intensificam.


Isso pode acontecer por insegurança, medo da rejeição ou do abandono: "então eu me calo e aguento". Mas cuidado ao se acostumar com o que te faz mal.


Aprender a tirar essas pedras do sapato, comunicar seus incômodos e ganhar repertório para lidar com os conflitos é fundamental para a maturidade emocional. Um psicólogo pode ajudar você nesse processo, oferecendo suporte e técnicas para enfrentar esses desafios.


Você é do tipo que evita conversas difíceis? Não fala o que te incomoda para evitar conflitos?


Comunicar os incômodos pode ser desafiador, mas se calar diante deles pode fazer você desrespeitar seus próprios limites, causando mal-estar e até somatização.


Existem muitas maneiras de expressar o que você está sentindo. Quanto mais você se conhece e enfrenta seus medos, mais repertório você ganha para lidar com os conflitos quando eles surgirem.


Fez sentido para você? Compartilhe comigo seus pensamentos.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page