top of page
  • Foto do escritorlucas protti

Somos guardiões de segredos



“Somos guardiões de segredos. Todos os dias os pacientes nos honram com seus segredos, frequentemente nunca antes compartilhados”, nos ensina o renomado psicoterapeuta, Irving D. Yalom, autor de "O dia em que Nietzche chorou" e outras obras


Esses segredos, carregados em silêncio, muitas vezes trazem consigo culpa, vergonha, anseios por amor e reconhecimento, além de vulnerabilidades, inseguranças e medos. As vaidades e arrogâncias de alguns podem ser apenas máscaras para esconder o doloroso esforço de manter esses segredos por tanto tempo.


Por trás da autoconfiança exagerada, podem existir inseguranças e fraquezas que a pessoa tenta esconder. É como se usasse uma máscara para evitar encarar suas próprias vulnerabilidades. Uma luta interna entre o desejo de esconder tudo e a necessidade de ser vista e aceita como realmente é. Toda essa presunção se torna uma tentativa desesperada de esconder a verdadeira pessoa por trás da fachada.


O poder das palavras e da confiança, no contexto da psicoterapia, alivia o fardo que muitos carregam em solidão. No consultório, a escuta atenta e acolhedora tece a delicada tapeçaria do tratamento. Palavras que antes eram farpas doloridas transformam-se em bálsamos que acalmam as feridas da alma.


A cada história revelada, a cada segredo compartilhado, uma oportunidade de mudança se abre. Ser psicoterapeuta é presenciar a capacidade humana de superação e transformação. Observamos o desenvolvimento de novas perspectivas, a superação de traumas, o aprimoramento de habilidades para lidar com desafios e a construção de relacionamentos mais saudáveis. Mas é importante dar o primeiro passo, porque as mudanaçs não acontecem sozinhas.


E você, que segredos guarda em seu coração? Já encontrou um espaço seguro para compartilhá-los?


Faça terapia.


5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page